Ranking Boro

O teor de B nos tecidos vegetais variam entre 6 a 60 mg/kg sendo maior em dicotiledôneas comparado as monocotiledôneas, é absorvido pelas plantas principalmente na forma de ácido bórico (H3BO3) não dissociado, podendo também ser na forma do ânion borato. A redistribuição do B na planta é muito baixa, sendo suprido principalmente através do transporte da raiz para a parte aérea via xilema. Os sintomas de deficiência de B ocorrem primeiramente nas regiões de crescimento da planta, ápice de raízes e parte aérea, ocorrendo em virtude de suas funções. Na planta o B é importante para a manutenção da estabilidade das paredes e membranas celulares, síntese de DNA e RNA, de proteínas e açúcares, e regulação dos teores de fenóis e auxinas que em quantidades elevadas são tóxicos.

Apesar de ser um micronutriente a complementação foliar do B é uma importante ferramenta de manejo nutricional desde o início do vegetativo visto a sua baixa mobilidade entre os diferentes órgãos da planta. Grande parte dos sintomas de deficiência deste nutriente deve-se ao fato de ser necessário para a síntese da base nitrogenada URACILA, presente nas moléculas de RNAs, influenciando diretamente os processos de divisão celular e expressão das características genéticas. O B também afeta a produção de açúcares e principalmente de sacarose, levando a menor produção de UDP-glicose, um intermediário de sua rota de formação, inibindo tanto sua produção quanto sua posteriormente redistribuição, ocasionando problemas na formação da estrutura celular (paredes e membranas) e consequentemente menor desenvolvimento das regiões meristemáticas que em condições agudas de deficiência não se desenvolvem

CONCENTRAÇÃO DE

NUTRIENTES


N P2O5 K2O Ca Mg S Fe B Zn Mn Cu Mo Co D(g/cm3)*
- - - - - - - 10,00 - - - - - 1,35

INTRUÇÕES

DE USO


CULTURAS DOSAGEM POR APLICAÇÃO (/ha) ÉPOCA DE APLICAÇÃO
0,5 a 1,0 Lts. Des. Veget. e ou pré-florada